Crimes virtuais crescem e se torna cada vez mais importante entender todos os desafios

Os últimos dias foram marcados pelos maiores ataques hackers da história. Milhões de computadores foram atingidos em todo o mundo e ficou escancarada uma nova modalidade de extorsão: pagamento em forma de moedas virtuais para liberação de dados.

Se estivéssemos falando de um crime de sequestro, seria o mesmo que pagar o resgate em dinheiro vivo. O que muda, agora, é que a “vítima” são dados armazenados nos computadores e o “resgate”, que devolve acesso aos dados, é pago em bitcoin ou outro tipo de moeda virtual.

Estima-se que, nos últimos dois ataques, mais de US$ 1 bilhão de dólares tenham sido embolsados pelos criminosos. O ataque atingiu computadores em 74 países.

Mas, afinal de contas, o que é bitcoin? Como se proteger de ataques virtuais? Se tiver dados roubados, é possível recuperar? Como as instituições financeiras lidam com esse problema? Quais são as tecnologias disponíveis para combater o crime virtual?

Meu nome é Cristian Peretta, passei diversos dias  confinado dentro da Sede do Google e Facebook e aprendi muito sobre como funciona os meios de pagamentos digitais bem como as tecnologias para combater os crimes virtuais. Deixe seu nome e e-mail no campo abaixo que enviaremos algumas matérias exclusivas.

parede

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *